Numa tarde cansada de outono, quando o sol se escondeu no horizonte. Ao ruído infantil de uma fonte, eu me pus a pensar em você. Em você que se sente perdido quando põe seu olhar nas estrelas, e de tanto contá-las e vê-las, já não sabe se crê ou não crê. Eu conheço as milhões de perguntas que você que falou que não crê, e que diz que só crê no que vê, todo dia pergunta pra Deus. Eu conheço as milhões de respostas, que ninguém tem coragem de dar, quando a vida nos vem questionar; Como vê somos todos ateus. Numa tarde tristonha de inverno retornei ao murmúrio da fonte. Não havia mais sol no horizonte, e eu me pus a pensar nos cristãos. Nos cristãos que se sentem tranquilos, quando põe seu olhar nas estrelas. E de tanto contá-las e vê-las, nunca mais põe os olhos no chão. Eu conheço as milhões de respostas, que esta gente que fala que crê, mas não ouve, não pensa e não lê, não responde por medo de Deus. Eu conheço as milhões de perguntas que os cristãos nunca ousam fazer. Pois terão de se comprometer; Como vê somos todos ateus.

O homem é um Universo em Evolução

O homem é um Universo em Evolução

terça-feira, 19 de junho de 2012

Quem é o meu próximo?

  Lucas 10:25-3725 E eis que se levantou certo doutor da lei e, para o experimentar, disse: Mestre, que farei para herdar a vida eterna?26 Perguntou-lhe Jesus: Que está escrito na lei? Como lês tu?27 Respondeu-lhe ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo.28 Tornou-lhe Jesus: Respondeste bem; faze isso, e viverás.29 Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: E quem é o meu próximo? 30 Jesus, prosseguindo, disse: Um homem descia de Jerusalém a Jericó, e caiu nas mãos de salteadores, os quais o despojaram e espancando-o, se retiraram, deixando-o meio morto. 31 Casualmente, descia pelo mesmo caminho certo sacerdote; e vendo-o, passou de largo. 32 De igual modo também um levita chegou 33 Mas um samaritano, que ia de viagem, chegou perto dele e, vendo-o, encheu-se de compaixão; 34 e aproximando-se, atou-lhe as feridas, deitando nelas azeite e vinho; e pondo-o sobre a sua cavalgadura, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. 35 No dia seguinte tirou dois denários, deu-os ao hospedeiro e disse-lhe: Cuida dele; e tudo o que gastares a mais, eu to pagarei quando voltar. 36 Qual, pois, destes três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? 37 Respondeu o doutor da lei: Aquele que usou de misericórdia para com ele. Disse-lhe, pois, Jesus: Vai, e faze tu o mesmo

Muitos Cristãos ensinam erroneamente que todos os homens ao nosso redor se classificam como o nosso próximo, bastando para isso que tenhamos amor por eles. Não foi isso que Jesus ensinou, mas sim, aquele a quem devemos gratidão por nos ajudarem ou socorrer-nos nos momentos em que mais precisamos. O Sacerdote, apesar de ser um servo a serviço de Deus, não foi classificado como sendo o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores; E nem mesmo o Levita, homem voltado para os serviços de Deus, foi classificado como o próximo. Porém, o Samaritano foi considerado o próximo daquele homem que se encontrava a beira da morte, pois, foi somente ele que usou de misericórdia e de amor para com o agonizante. Jesus na história relatou dois religiosos e um homem considerado grande pecador pelos Judeus, justamente para mostrar que o próximo não é qualquer um que se diga ser bom ou religioso, e sim aquele que pratica a Caridade independente de Religião. Nem mesmo o irmão na fé pode ser o próximo se nele não houver a verdadeira caridade independente de credo ou religião. Portanto, aquele que me trás a paz e me socorre nos momentos mais difíceis e que usou de um amor desinteressado para comigo, este sim, é o meu próximo, porém eu não serei o seu próximo se não souber ama-lo como a mim mesmo e reconhecer a minha dívida de gratidão para com ele.  Porque aquele que pratica a caridade esperando recompensa tanto de Deus como dos homens, este não é caridoso, mas sim interesseiro.Este não pode ser classificado como o próximo de alguém, pois se tornou amante de si mesmo. Eis a pergunta de Jesus:- Qual, pois, destes três te parece ter sido o próximo daquele que caiu nas mãos dos salteadores? Nos versículos abaixo, Jesus deixa bem claro que nem todos podem ser considerados como o nosso próximo, apenas porque fingem nos amar para serem glorificados pelos homens ou receberem recompensa de Deus. Jesus ensinou: - Tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei vós também a eles. Esta é a Lei e os Profetas. (Mateus: 18, 15 - 17)

"Se o seu irmão pecar contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão. 16. Mas se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que ‘qualquer acusação seja confirmada pelo depoimento de duas ou três testemunhas’. 17. Se ele se recusar a ouvi-los, conte à igreja; e se ele se recusar a ouvir também a igreja, trate-o como pagão ou publicano.