Numa tarde cansada de outono, quando o sol se escondeu no horizonte. Ao ruído infantil de uma fonte, eu me pus a pensar em você. Em você que se sente perdido quando põe seu olhar nas estrelas, e de tanto contá-las e vê-las, já não sabe se crê ou não crê. Eu conheço as milhões de perguntas que você que falou que não crê, e que diz que só crê no que vê, todo dia pergunta pra Deus. Eu conheço as milhões de respostas, que ninguém tem coragem de dar, quando a vida nos vem questionar; Como vê somos todos ateus. Numa tarde tristonha de inverno retornei ao murmúrio da fonte. Não havia mais sol no horizonte, e eu me pus a pensar nos cristãos. Nos cristãos que se sentem tranquilos, quando põe seu olhar nas estrelas. E de tanto contá-las e vê-las, nunca mais põe os olhos no chão. Eu conheço as milhões de respostas, que esta gente que fala que crê, mas não ouve, não pensa e não lê, não responde por medo de Deus. Eu conheço as milhões de perguntas que os cristãos nunca ousam fazer. Pois terão de se comprometer; Como vê somos todos ateus.

O homem é um Universo em Evolução

O homem é um Universo em Evolução

sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

As Perguntas que eu me faço - Evidências da Reencarnação na Bíblia

Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele. O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou.  (Eclesiastes 3: 14 - 15)
O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol. Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós. Já não há lembrança das coisas que precederam, e das coisas que hão de ser também delas não haverá lembrança, entre os que hão de vir depois. Eu, o pregador, fui rei sobre Israel em Jerusalém. E apliquei o meu coração a esquadrinhar, e a informar-me com sabedoria de tudo quanto sucede debaixo do céu; esta enfadonha ocupação deu Deus aos filhos dos homens, para nela os exercitar. Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito..........Porque na muita sabedoria há muito enfado; e o que aumenta em conhecimento, aumenta em dor. (Eclesiastes 1, 9 á 18)
Não estaria o Rei Salomão falando indiretamente sobre a Reencarnação com esta frase: "O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi"?, pois, com certeza não estava falando sobre dinossauros ou Alienígenas. 
Será que não é mais evidente quando ele diz: "O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol"?
...porque eu, Jeová teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, na terceira e na quarta geração daqueles que me aborrecem, e uso misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. (Êxodo 20, 5 - 6)

Não te encurvarás a elas, nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geraçãodaqueles que me odeiam.
Porquê Deus cita a primeira geração e a quarta geração e não cita a Segunda Geração? No meu entender o Pai é a primeira Geração, o Filho a Segunda Geração, o Neto a Terceira Geração e o Bisneto a Quarta Geração. Pois, é quase impossível o Homem Reencarnar em seu Filho de sangue, sendo mais provável voltar como seu Neto. Eu me baseio do começo com Adão e Eva.
Então visitarei a sua transgressão com a vara, e a sua iniquidade com açoites. (Salmos 89, 32)
Será possível que as Iniquidades e as Transgressões dos Antepassados sejam herdadas pelos seus Descendentes através do DNA como afirma algumas Teorias sobre a "Maldição da Hereditariedade"? Se não há Reenarnação, não seria totalmente injusto Deus cobrar dos Inocentes as Iniquidades e Transgressões de seus Antepassados?
E aconteceu que os amalequitas vieram atacar os filhos de Israel em Refidim. Então Moisés ordenou a Josué: “Escolhe homens, e amanhã sai para combater contra Amaleque; eu me posicionarei no alto da colina, com o cajado de Deus em minhas mãos!”… (Êxodo 17: 8 - 9)
Samuel disse a Saul: "Eu sou aquele a quem o Senhor enviou para ungi-lo como rei de Israel, o povo dele; por isso escute agora a mensagem do Senhor.  Assim diz o Senhor dos Exércitos: 'Castigarei os amalequitas pelo que fizeram a Israel, atacando-o quando saía do Egito.  Agora vão, ataquem os amalequitas e consagrem ao Senhor para destruição tudo o que lhes pertence. Não os poupem; matem homens, mulheres, crianças, recém-nascidos, bois, ovelhas, camelos e jumentos' ".  (1 Samuel 15:1 - 3) 
Moisés com o Povo de Israel saíram do Egito há séculos antes do Rei Saul, então porquê Deus quer se vingar de uma Nação que já não existia mais na TerraSe não há Reencarnação, os Amalequitas do tempo do Rei Saul eram totalmente inocentes do que os seus Antepassados fizeram á Israel. Será que Deus se vinga nos Inocentes só por serem Descendentes dos que praticaram o mal?  E o que tem a ver o DNA do homem com as Iniquidades e Transgressões de seus Antepassados?
 Nenhum de vocês entrará na terra que, com mão levantada, jurei dar-lhes para sua habitação, exceto Calebe, filho de Jefoné, e Josué, filho de Num.Números 14:30
Se não há Reencarnação, porquê todo o Povo de Israel que saíram do Egito com a Promessa de Deus de que herdariam Canaã, a terra que brota leite e mel, não herdaram a Promessa que receberam no Cativeiro do Egito? Se não há Reencarnação, Deus não cumpriu a Promessa, antes tirou Israel do Egito pra morrer no deserto. Pois, que esperança há em sofrer muitas aflições e depois morrer, só para que seus Descendentes não sejam escravos como o Povo de Israel foi no Egito?  Em Lucas12:1921,. Cristo ensina que não há proveito para o homem que se esforce tanto para deixar como herança, tudo para quem ainda não existe na Terra, no caso os filhos. 
E direi a minha ala: Alma, tens em depósito muitos bens para muitos anos; descansa, come, bebe e folga.
Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado, para quem será?
Assim é aquele que para si ajunta tesouros, e não é rico para com Deus.

Por isso Jezabel mandou um mensageiro a Elias para dizer-lhe: "Que os deuses me castiguem com todo o rigor, caso amanhã nesta hora eu não faça com a sua vida o que você fez com a deles".
Elias teve medo e fugiu para salvar a vida. Em Berseba de Judá ele deixou o seu servo
1 Reis 19:2,3
Todavia, quando João repreendeu Herodes, o tetrarca, por causa de Herodias, mulher do próprio irmão de Herodes, e por todas as outras coisas más que ele tinha feito, (Lucas 3: 19)
Os Cristãos para não aceitarem a Doutrina da Reencarnação, afirmam que João Batista apenas tinha as mesmas Virtudes de Elias, mas não era reencarnação do Profeta Elias. Porém, como explicar que Elias só era corajoso por ver os Sinais de Deus se manifestando através dele e quando foi perseguido pela rainha Jezabel se escondeu com muito medo? Quanto á João Batista, ele era muito corajoso e enfrentou o Rei Herodes sem ter nenhum medo e sem ver Sinais de Deus agindo através dele. Quem lê a história do Profeta Elias, vê claramente que as Virtudes entre João Batista e Elias são muito diferentes. 
Outra pergunta: Como pode João Batista ter as mesmas Virtudes do Profeta Elias se Jesus Cristo disse que de Filho de mulher, João Batista é o Maior?
Eu lhes digo que entre os que nasceram de mulher não há ninguém maior do que João; todavia, o menor no Reino de Deus é maior do que ele". (Lucas 7:28)
E Jesus, respondendo, disse-lhes: Em verdade Elias virá primeiro, e restaurará todas as coisas;
Mas digo-vos que Elias já veio, e não o conheceram, mas fizeram-lhe tudo o que quiseram. Assim farão eles também padecer o Filho do homem.
Então entenderam os discípulos que lhes falara de João o Batista. 
Mateus 17:11-13)
Muitos Cristãos afirmam que João Batista não podia ser a Reencarnação do Profeta Elias porque Elias havia subido aos céus vivo e com o corpo carnal. Mas, como entender que Elias com Moisés apareceram a Jesus na Transfiguração? Segundo a Bíblia, Moisés morreu e teve seu corpo carnal disputado estre o Arcanjo Miguel e Satanás. Como entender Moisés e Elias juntos em Espírito falando com Jesus Cristo?
E transfigurou-se diante deles; e o seu rosto resplandeceu como o sol, e as suas vestes se tornaram brancas como a luz.
E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. E Pedro, tomando a palavra, disse a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, façamos aqui três tabernáculos, um para ti, um para Moisés, e um para Elias.(Mateus 17:2-4)
Certa vez Jesus estava orando em particular, e com ele estavam os seus discípulos; então lhes perguntou: "Quem as multidões dizem que eu sou? "
Eles responderam: "Alguns dizem que és João Batista; outros, Elias; e, ainda outros, que és um dos profetas do passado que ressuscitou".
Lucas 9:18,19)
E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do homem?
E eles disseram: Uns, João o Batista; outros, Elias; e outros, Jeremias, ou um dos profetas.
(Mateus 16:13,14)

Outros, que Elias tinha aparecido; e ainda outros, que um dos profetas do passado tinha voltado à vida. (Lucas 9: 8)
E, estando reunidos os fariseus, interrogou-os Jesus,
Dizendo: Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Eles disseram-lhe: De Davi. Disse-lhes ele: Como é então que Davi, em espírito, lhe chama Senhor, dizendo:
Disse o Senhor ao meu Senhor:Assenta-te à minha direita, Até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés?
Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é seu filho? (Mateus 22:41-45)

Se não há Reencarnação, então porquê as Multidões acreditavam que Jesus Cristo era, o Profeta Jeremias ou algum dos Antigos Profetas? Porquê Jesus afirmou não ser Filho de Davi, pois, segundo sua descendência pela parte do pai adotivo José, ele era da Descendência de Davi? Aqui se nota que não estão falando em Descendência, mas sim de Reencarnação, pois está profetizado nas Sagradas Escrituras que Deus levantará um Filho a Davi e seu trono será eterno. Podemos acreditar que Deus falava sobre o Rei Salomão, mas vemos que o Trono do Rei Salomão não foi para sempre como diz a Profecia. E por isso, o Povo acreditava que Jesus Cristo era Reencarnação de Davi.
Quando forem cumpridos os teus dias, para ires a teus pais, levantarei a tua descendência depois de ti, um dos teus filhos, e estabelecerei o seu reino. Esse me edificará casa, e eu firmarei o seu trono para sempre. Eu lhe serei por pai, e ele me será por filho; e a minha misericórdia não retirarei dele, como a retirei daquele que foi antes de ti; mas o confirmarei na minha casa e no meu reino para sempre, e para sempre o seu trono será firme.
1 Crônicas 17:11-14

1Quando teus dias forem completos, e vieres a dormir com teus pais, então farei levantar depois de ti um dentre a tua descendência, o qual sairá das tuas entranhas, e estabelecerei o seu reino.
Este edificará uma casa ao meu nome, e confirmarei o trono do seu reino para sempre.
2 Samuel 7:12,13
“Tu usas de misericórdia para com milhares e retribuis a iniquidade dos pais nos filhos; tu és o grande, o poderoso Deus, cujo nome é o SENHOR dos Exércitos” (Jeremias 32:18.)

A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai levará a iniquidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele.
Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.
E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.João 9:1-3
Se não há Reencarnação e Pre- existência da Alma, então porquê a pergunta dos Discípulos para Cristo sobre quem pecou? Alguns Cristãos aceitam a Pre-existência da Alma, mas negam a Reencarnação. Porém, na Doutrina da Pre-existência, todos pecaram e cada um sofre individualmente por causa de seu próprio pecado antes de sua existência como homem aqui na Terra. Mas, se houve uma possibilidade que o Pai é que tinha pecado e não seu filho nesta pergunta, fica descartada a Hipótese de se tratar da Doutrina da Pre-existência e afirmando se tratar de Reencarnação. Se não houvesse Reencarnação, porquê Jesus Cristo não combateu esta Doutrina que já era conhecida por todos os Judeus de seu tempo? Antes ele deu a entender a Existência da Reencarnação e preferiu deixar no ar as perguntas, pois naquele tempo, tal Doutrina era pregada pelos Gregos que aprenderam com Sócrates, o grande Filósofo que existiu há 400 anos antes de Cristo.

Pensamentos que me afligem
Sentimentos que me dizem
Dos motivos escondidos
Na razão de estar aqui
As perguntas que me faço
São levadas ao espaço
E de lá eu tenho todas
As respostas que eu pedi

Quem me dera que as pessoas que se encontram
Se abraçassem como velhos conhecidos
Descobrissem que se amam
E se unissem na verdade dos amigos

E no topo do universo uma bandeira
Estaria no infinito iluminada
Pela força desse amor, luz verdadeira
Dessa paz tão desejada 

Pensamentos que me afligem
Sentimentos que me dizem
Dos motivos escondidos
Na razão de estar aqui

E eu penso nas razões da existência
Contemplando a natureza nesse mundo
Onde às vezes aparentes coincidências
Têm motivos mais profundos

Se as cores se misturam pelos campos
É que flores diferentes vivem juntas
E a voz dos ventos na canção de Deus
Responde todas as perguntas

Pensamentos que me afligem
Sentimentos que me dizem
Pensamentos que me afligem
Sentimentos que me dizem
Pensamentos que me afligem
Sentimentos que me dizem

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

As origens históricas da reencarnação

O senso comum, amplamente difundido, é o de que a reencarnação nunca esteve associada ao Cristianismo e à Igreja. Mas, como veremos a seguir, isso está longe de ser verdade.
A reencarnação pode até mesmo ser considerada como uma espécie de linha divisória entre a Igreja e o Espiritismo. Doutrina inexistente no Cristianismo “oficial” e, ao mesmo tempo, um dos pilares fundamentais da religião espírita, resultando, na prática, na existência de um grande grupo de fiéis “híbridos”, os “Católicos Espíritas”. Isso não deixa de ser irônico e já veremos por que.
O que sabemos é que os chamados “Católicos Espíritas” seriam compostos por fiéis que, mesmo católicos, optaram por não aceitar a inexistência da doutrina da reencarnação e, com isso, a agregaram, assim como algumas outras da doutrina espírita, em suas crenças cristãs. Essa fusão, ou hibridismo, geralmente só ocorre quando a doutrina espírita adotada é uma das que, em algum momento de sua história, também já havia sido fundida com os principais preceitos cristãos, como por exemplo, o kardecismo ou o umbandismo, tornando as duas doutrinas relativamente compatíveis.
Porém, a ironia a que me referi é que, historicamente falando, os “Católicos Espíritas” existem desde o surgimento da Igreja e o grupo mais novo nessa estória toda é justamente o dos “Católicos Não-Espíritas”.
Isso faz algum sentido? Os católicos não teriam sido sempre não-espíritas? Sim e não. O “sim” é porque o espiritismo, enquanto doutrina e religião, ainda não existia oficialmente quando a Igreja surgiu. Já o “não” é porque o conceito de reencarnação sempre esteve presente, e era parte integrante, no conjunto de crenças que formavam o cristianismo desde as suas origens. E é por essa simples razão que os “Católicos Espíritas” existem desde o surgimento da Igreja. Mas isso mudaria, e por razões não muito nobres, o que daria origem ao grupo de católicos que não mais acreditariam na reencarnação.
A crença na reencarnação é algo que surge com o ser humano primitivo, tendo em vista seu natural inconformismo com a morte e sua necessidade de se apoiar em crenças que sustentem a ideia de continuidade eterna. Já a doutrina da reencarnação parece aparecer pela primeira vez nos Upanixades, as instruções religiosas hindus, sendo uma espécie de punição infligida pelos deuses a quem teve uma vida má. A doutrina viria a sofrer algumas modificações através do tempo e da história das religiões, onde, de castigo e punição, viria a significar para os espíritas uma espécie de purificação gradual.
Quando foi que a coisa mudou? E por quais razões?
A extinção da doutrina da reencarnação da Igreja surgiu de uma ferrenha oposição pessoal do imperador Justiniano ao Concílio da igreja, seguindo ordens de sua esposa. Segundo Procópio, a ambiciosa esposa de Justiniano, que, na realidade, era quem manejava o poder, era filha de um guardador de ursos do anfiteatro de Bizâncio. Ela teria iniciado sua rápida ascensão ao poder como cortesã. Após sua ascensão ao poder, decidiu se libertar do passado que a “manchava”. Para isso, ordenou mais tarde, a morte de quinhentas antigas “colegas” cortesãs. Mas isso seria suficiente? Longe disso.
Para que, em suas próximas “reencarnações”, ela não viesse a sofrer as consequências do assassinato de suas antigas “colegas”, como mandava a doutrina da reencarnação, empenhou-se ainda em abolir de vez qualquer vestígio dessa doutrina usando a influência de Justiniano para fazer com que suas intenções fossem transformadas em “ordem divina”.
Assim, em 543 d.C., o imperador Justiniano, sem levar em conta o ponto de vista papal, declarou guerra frontal aos ensinamentos do papa Orígenes, condenando-os através de um sínodo especial. Em suas obras “De Princippis” e “Contra Celsum”, Orígenes (185-235 d.C), já havia reconhecido abertamente a existência da alma antes do nascimento e sua dependência de ações passadas.
Esse sínodo especial convocado por Justiniano teve como participantes apenas os bispos ortodoxos do oriente e nenhum de Roma. Nem mesmo o próprio Papa participou pois estava em Constantinopla na ocasião.
O Concilio de Constantinopla, o quinto dos Concílios, não passou então de um encontro, mais ou menos em caráter privado, organizado por Justiniano, que, mancomunado com alguns vassalos, excomungou e maldisse a doutrina da preexistência da alma e da reencarnação, apesar dos protestos de Virgílio, com a publicação de seus “Anathemata”.
A conclusão oficial a que o Concilio chegou após uma discussão de quatro semanas teve que ser submetida ao Papa para ratificação. Os documentos que lhe foram apresentados (os assim-chamados “Três Capítulos”) versavam apenas sobre a disputa a respeito de três eruditos que Justiniano, há quatro anos, havia por um edito declarado heréticos. Nada continham sobre Orígenes.
Os Papas seguintes, Pelágio I (556-561), Pelágio II (579-590) e Gregório (590-604), quando se referiram ao quinto Concílio, nunca tocaram no nome de Orígenes. O edito de Justiniano foi então aceito pela igreja na seguinte forma: “Todo aquele que ensinar a preexistência da alma e sua “monstruosa” renovação será devidamente condenado”.
E assim ocorreram as coisas. Como eu disse anteriormente, por razões não muito nobres, a Igreja retirou de seus princípios a doutrina da reencarnação. Ao contrário do que a imensa maioria acredita saber, não é verdade que a Igreja jamais considerou a reencarnação como um fato. O grupo dos “Católicos Não-Espíritas” teve sua origem apenas em 543 d. C.
Escrito por: RONI ADAME

PENSAMENTO EM EXTINÇÃOFontes:

Fontes:
Revista História Viva
Livro Jesus Viveu na Índia (Kersten, Holger)

...porque eu, Jeová teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniquidade dos pais nos filhos, na terceira e na quarta geração daqueles que me aborrecem, e uso misericórdia até mil gerações daqueles que me amam e guardam os meus mandamentos. (Êxodo 20, 5 - 6)
Então visitarei a sua transgressão com a vara, e a sua iniquidade com açoites. (Salmos 89, 32)

“Tu usas de misericórdia para com milhares e retribuis a iniquidade dos pais nos filhos; tu és o grande, o poderoso Deus, cujo nome é o SENHOR dos Exércitos” (Jeremias 32:18.)

A alma que pecar, essa morrerá; o filho não levará a iniquidade do pai, nem o pai levará a iniquidade do filho. A justiça do justo ficará sobre ele e a impiedade do ímpio cairá sobre ele.
Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.

E, passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.João 9:1-3

Meu amigo Pedro - Raul Seixas
Muitas vezes, Pedro, você fala
Sempre a se queixar da solidão
Quem te fez com ferro, fez com fogo, Pedro
É pena que você não sabe não
Vai pro seu trabalho todo dia
Sem saber se é bom ou se é ruim
Quando quer chorar vai ao banheiro
Pedro, as coisas não são bem assim
Toda vez que eu sinto o paraíso
Ou me queimo torto no inferno
Eu penso em você, meu pobre amigo
Que só usa sempre o mesmo terno
Pedro, onde 'cê vai eu também vou
Pedro, onde 'cê vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou
Tente me ensinar das tuas coisas
Que a vida é séria e a guerra é dura
Mas se não puder, cale essa boca, Pedro
E deixa eu viver minha loucura
Lembro, Pedro, aqueles velhos dias
Quando os dois pensavam sobre o mundo
Hoje eu te chamo de careta, Pedro
Que você me chama vagabundo
Pedro, onde 'cê vai eu também vou
Pedro, onde 'cê vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou
Todos os caminhos são iguais
O que leva à glória ou à perdição
Há tantos caminhos, tantas portas
Mas somente um tem coração
E eu não tenho nada a te dizer
Mas não me critique como eu sou
Cada um de nós é um universo, Pedro
Onde você vai eu também vou
Pedro, onde 'cê vai eu também vou
Pedro, onde 'cê vai eu também vou
Mas tudo acaba onde começou
É que tudo acaba onde começou